venerdì, settembre 08, 2006

Jornal da Praça # 46, setembro 2006
phBarrox,2006
CRÔNICAS DA CAMALEOA
É sábado e ela está pela primeira vez na Praça Benedito Calixto e caminha entre barracas e pessoas desconhecidas e o cara acena para um e outro e apresenta Obeny que oferece um brigadeiro acompanhado de deus te abençoe, e depois riem muito com Celso dos cds perguntando do Baba Cósmica e aí o cara beija Tânia que fala do curso de alimentação orgânica e apresenta Edson Lima - do Autor na Praça - e mostra a criatividade das irmãs Ereza e Linda e provoca com o clic da câmera o sorriso de olhos apertados de mari Blue e provoca Ângela que fala, que beija, que comanda, que registra buracos quentes e caldos de feijão e um incrivel sanduíche de pernil.
Não que a Praça Benedito Calixto seja algo fora do comum – e é – mas há um cheiro de acarajé e pastel e caldo de cana misturado com chorinho e tudo o mais que acontece ali entre a Cardeal e a Teodoro Sampaio que não se vê, nem se sente, em nenhuma outra praça. Plaza cheia de meninas largadas, tatuadas, cheirosas, tetudas, com charme paulistano e de toda parte deste Planeta que caminham com certa graça sozinhas ou acompanhadas de garotos bonitos, altos e baixos, com cabelos longos, raspados, com piercings, com rastafaris que levam pra passeio os cães de todas as raças que desfilam entre barracas e crianças de todas as idades acompanhadas da vovó e suas amigas que gostam e curtem sair aos finais de semana e se divertem ao encontrar amigos que andam lado a lado, de mãos dadas e se beijam apaixonados porque não têm nada a esconder, nem o que explicar e por isso se amam publicamente. Não há nada que faça ela relaxar porque tudo é tão novidade e as coisas acontecem tão rápido e ao mesmo tempo que só o silêncio e o tempo podem resolver e organizar tantas sensações e cheiros. Jornal da Praça no banco de la place e ele ao lado clic ela ao alto olhando para longe dali, pensamentos ainda na outra cidade, e nele que clic Delia e Luiz conversam sobre os caminhos até aqui e ela sorri pra ele enquanto Débora clic acende outro cigarro e Taís chega pra mais uma entrevista pro projeto de final de curso da faculdade e clic Jader que fala de literatura e arte e clic a moça que acaba de dar um beijo apaixonado. Nele.
Praça Benedito Calixto, São Paulo, Jornal da Praça, é ele quem faz tudo diferente e reúne tanta gente e sonha feito criança e fotografa sonhos e filmes em dias banais, em cenas cheia de tédio e rotina que faz eu e você acreditar que tudo é possível e me deixa sem palavras, totalmente sem jeito, porque qualquer coisa que eu pense ou diga parece não ter sentido algum – desnecessário – falar de novo que suas fotografias são geniais e toda aquela diagramação du caralho me fazem acreditar mais uma vez que existe gente assim que trabalha brincando desenhando paixão em imagens, poesia, jornais e revistas. Há um pouco disso pelas ruas de São Paulo, em mim, e há quem diga que ainda o vê pelas avenidas do Rio de Janeiro, em cafés da Argentina e da França. Há Barrox demais em mim.
Então sai o Jornal da Praça 46 pra gente se divertir e é setembro, sempre mês de aniversário e todo mundo se beija e se abraça porque é bom fazer parte disso tudo e nos conhecermos e ainda bem que estamos vivos e conscientes – será? – pra registrar Bené (?), Jornal da Praça e tudo o mais que une tanta gente (des)conhecida num mesmo lugar ou em lugar nenhum. Afinal foi lá onde a gente se encontrou pela primeira vez, não foi?

Camaleoa é blogueira, jornalista
e jura de pés juntos
que é prima de Arturo Bandini

2 commenti:

luana vignon ha detto...

bacana. ficou bem jóia esse espaço aqui. parabéns.

Anonimo ha detto...

Sim, provavelmente por isso e